segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Kabbalah Egípcia


A Kabbalah Egípcia surgiu no antigo Egito, sob o reinado do Faraó Menés, e tem mais de 5.800 mil anos. O método, também conhecido como “Ciência de Tehuti”, não tem cunho religioso, mas científico, pois são utilizadas posições de estrelas regentes, num plano estelar dos deuses egípcios e nove posições iniciais fixas. Este método visa única e exclusivamente o conhecimento profundo da pessoa, como indivíduo, membros de família, grupo ou sociedade.


Modificada no ocidente, em meados do século XI, a Kabbalah referia-se à escola do pensamento judaico e tinha relação com seu misticismo. Com o tempo, ganhou força e foi utilizada por grupos diferentes, como cristãos, filósofos e neo pagãos. Isto fez com que ela sofresse sérias alterações em seu contexto original, e passasse a ser associada a grupos religiosos, escola mística e até mesmo filosófica.


No Brasil, a Kabbalah Egípcia é aplicada pelo professor Gilberto Bacaro, o único nas Américas, e um dos poucos no mundo. Para realizar o cálculo, Bacaro utiliza a data de nascimento da pessoa e, a partir daí, consulta três tabelas que resultam numa sequência de números. "Esses números compõe o pentagrama do destino desta pessoa e de sua família. A partir disso, é possível saber todos os karmas de vidas passadas e aos karmas familiares de cada encarnação, além da profissão, relacionamento, períodos positivos e negativos e saúde”, diz Bacaro.


O pentagrama é uma forma simples de estrela onde está representada as cinco fases da vida das pessoas: nascimento, infância, maturidade, velhice e morte. Cada espaço do pentagrama tem uma representação: o centro - elemento terra, representa o nascimento; ponta um - elemento terra, representa o espírito, a encarnação e se apoia nas outras quatro pontas; ponta dois - elemento ar, produz as forças do crescimento e desenvolvimento; ponta três - elemento ar, representa as forças dos elementos da natureza, inteligência e criatividade; ponta quatro - elemento metal, representa a energia, as mudanças, e as transformações na vida pessoal e a ponta cinco - elemento metal, representado pelo entardecer, o repouso merecido e as emoções do inconsciente.


Assim, após a realização da kabballah Egípcia, a pessoa consegue adquirir uma visão objetiva da vida, para que possa compreender melhor os períodos negativos e analisar a sua movimentação kármica.




GILBERTO BACARO
Gilberto Bacaro é mestre cabalístico egípcio. Possui doutorado pela Universidade Gregoriana do Vaticano (Roma) e em Filosofia das Religiões do Médio Oriente Antes e Pós Novo Testamento. É responsável pela aplicação da Kabbalah Egipícia na América do Sul e um dos 12 no mundo.

Neide S Beserra
neide@ linktours.com.br

Um comentário:

LUZ disse...

Senhora Neide,
Lendo a mensagem postada sobre Kabballa fiquei muito interessada e gostaria de saber da senhora se haveria possibilidade de um contato por telefone com o senhor Gilberto Bacaro.No momento náo estou morando no Brasil pois sou do serviço Diplomatico Brasileiro e estou atualmente em Beirute.Por isso,gostaria imensamente de poder ter esse privilegio de contar com sua compreensáo e boa vontade.Se possível eu desejaria receber tambem o e-mail deste senhor.
Grata.
Marta

Postar um comentário